Home
    Vitrine Literária Editora
   Catálogo
   Amostra grátis
   Quem somos
    Sala de Leitura
   Balaio
   Entrevistas
   Notícias
   Palavra de Escritor
   Veredas do Rosa
    Fala Viva
   Quase desconhecidos
   Comentários impertinentes
   Primeira Impressão
    Outras palavras
   Coisas da Malluh
    Livros à venda
   Crônica
   Poesia
   Infantil
   Contos
   Romance
   Ciências
   Humor
   Música
   Fotografia
   Culinária
   Medicina
   Saúde
   História e cultura
    Profissionais e Serviços
   Ilustrações
   Livrarias
Vitrine Literária
    Notícias
 
Um progressivo medieval barroco
domingo, 19 de agosto de 2012, 07:00
 

A Malluh mandou uma crônica esta semana que me deixou zonzo de saudades do Marco Antonio Araújo, puta músico mineiro de quem raramente eu perdia um show. Devo ter ido a pelo menos um de cada disco, e me sentia meio mágico na platéia do Palácio das Artes. Instrumental de primeiríssima qualidade, antenado aos sons mundiais da época, um progressivo medieval barroco devidamente aparado dos rococós ridículos.

O cara morreu novo, deixou um vácuo horrível, mas de vez em quando volta. Como numa noite em BH, lá pelo início dos noventa, eu recém-transformado de homem em pai, num domingo estava exausto, ali pelas seis da tarde, quando um som de guitarra invade o apartamento, vindo de uma feira próxima. Não sei o que tinha acontecido, se minha filha não tinha dormido direito ou era só mesmo a paternidade me assustando, estava precisando de uma válvula qualquer. Fui pra lá, do jeito que tava, me lembro de pisar com muito cuidado pra não melar os pés só de havaiana, e lá estava o Alexandre, irmão do Marco Antonio, tocando umas faixas de Influências. Devo ter ficado lá uma meia-hora, voltei pra casa levim, levim...

Quando li a crônica da Malluh, deu saudade de ver o cara no palco, fui no You Tube, achei um vídeo de uma turnê em 85. Veja abaixo. E, mais abaixo, uma apresentação do Alexandre, com músicas inéditas do M.A., no ano passado, em BH.

 
(05/10/2012, 22:14) Ser jovem na praia
(19/09/2012, 08:33) O Salvador, o traidor e o tumor
(17/08/2012, 17:35) O leito de Procrusto
(10/08/2012, 07:25) Gal, ternamente Gal
(02/08/2012, 09:03) O Gore, agora?
(09/07/2012, 16:36) Masturbação em Paraty
(03/07/2012, 10:33) Saudade das pedras irregulares
(27/06/2012, 08:42) "Coisa de pobre"
(25/06/2012, 10:22) Com os peitos lá fora
(14/06/2012, 08:55) Sexo no inferno (ops!, inverno)
   
Veja mais
 
"Aquiete-se! O silêncio quer falar."
Muito mais que uma grande baleia branca.
Sensualidade e lirismo à moda de Mário de Andrade
Um livro com sabor - e cheiro - de alambique
 
Leia mais
 
 
Coloque seu email e receba as novidades do portal Vitrine.
 
Nâo há enquetes disponíveis no momento.
Política de Privacidade Direitos Autorais Regras Comerciais Contato
 
O Portal Vitrine Literária não se reponsabiliza pelo conteúdo veiculado nos livros expostos e nem pela preservação dos direitos autorais. A comercialização é feita diretamente entre autor e interessado, ficando o Vitrine eximido de quaisquer responsabilidades fiscais, financeiras ou de remessa.
Copyright © 2005. Vitrine Literária. Todos os direitos reservados. Design e Desenvolvimento FitWeb Studio.